Páginas

31.10.05

A Caneta

Aqui cai a tinta de uma caneta enfeitiçada
Que tudo conhece, que tudo descreve...
Na ponta desliza um poema, que no papel adormece,
No corpo, os dedos de alguém que escreve para a amada.
Pinta um quadro de utopia,
Descreve a ternura de um olhar,
Mas também engana, pode matar,
Esquece belas palavras e fere com ironia.
Brinca com frases geladas,
Desenha a curva de um rosto,
Esconde subtilmente um desgosto,
Mas ficam lá as emoções, marcadas...

2 comentários:

Cátia Oliveira disse...

Ora aqui está um talento escondido...espero que continues a publicar mais e mais...quanto às fadas, se realmente se acreditar, elas existem...Eu acredito!!! Acredito que a realidade é demasiado negra se não a colorirmos com aquilo que nos faz bem... Fico à espera de mais...

A tua Cá

Razstec disse...

Ora aqui esta uma faceta que desconhecia, fico a espera de futuras revelações.
bj